Sagrada Família de Batayporã

O domingo (hoje) que está entre a Solenidade do Natal e a Solenidade da Mãe de Deus (Ano Novo), corresponde a Solenidade da Sagrada Família. Solenes, são aqueles momentos memoráveis, que marcam a vida e a história de alguém ou de uma comunidade.

A Igreja, considera este dia uma solenidade, ou seja, é um dia não para celebrar a Sagrada Família de Nazaré, mas para celebrar todas as Famílias, que como aquela são também sagradas. As famílias que se formam, nascem sempre de uma experiência de amor, de um bem-querer, portanto, são todas elas sagradas, porque o amor é sagrado.

Na realidade atual, os discursos em relação à família são sempre reticentes e pessimistas, porque a história do nosso tempo, está marcada com alguns sinais de violência e atitudes danosas em relação à família. No entanto, neste dia solene da família, é muito importante lembrar, que as famílias seguem nascendo. E as famílias não são só aquelas que nós conhecemos ou reconhecemos, mas a família é aquele espaço, que mesmo não comungando da nossa fé ou do nosso credo, continua cuidando para que os filhos e filhas que Deus envia a este mundo, a esta humanidade, sejam amados, educados e formados para que o mundo seja cada dia mais parecido com aquele sonhado por Deus no princípio.

A nossa comunidade católica ainda ressente muito de um modelo de família, difundimos tanto a perfeição da Sagrada Família de Nazaré, que acabamos esquecendo, que a nossa Família, que não é ainda perfeita, é um caminho, que Deus escolheu para que nós cada um a seu modo, se empenhe numa caminhada de perfeição.

As nossas famílias são Sagradas, porque todas as manhãs pais e mães acordam muito cedo para doarem seu sangue, gastarem suas energias no trabalho, para que os filhos e filhas, que Deus lhes confiou sejam homens e mulheres com dignidade.

A Sagrada Família de Nazaré, é um modelo, para a gente aprender a fazer das nossas famílias as Sagradas Famílias de Batayporã. E se a gente caminhar pelas nossas ruas, se batermos de porta em porta, em cada casa vamos encontrar Sagradas Famílias, tentando serem felizes; nem sempre todas conseguem, mas cada uma, mesmo sob o peso de dores, de perdas e de grandes sofrimentos, fazem de tudo para serem melhores, e é a luta para ser melhor, que faz de cada Família desta Comunidade e desta Cidade, uma Sagrada Família.

Já quase na virada do Ano, seria bonito, se nós, cada um num esforço pessoal e familiar, buscássemos fazer das nossas famílias espaços sagrados, onde juntos, mesmo em nossas dificuldades pudéssemos empreender este caminho rumo à perfeição, sem nos incomodarmos com quedas ou retornos, mas confiantes, que o Deus, que nos tornou família, no final aceitará de coração vibrante, a família que com nossos limites e esforços formos capazes de construir.

Feliz Dia de todas as Sagradas Famílias de nossa Batayporã.

Compartilhar
Pobre Servo da Divina Providência. Assessor Paroquial da Pastoral da Comunicação. Secretário Executivo do Regional Oeste 1 - CNBB.