DOUTRINA SOCIAL DA IGREJA

        “Toda Escritura é inspirada por Deus e útil para Instruir, pra refutar, para corrigir, para educar na justiça, a fim de que o homem de Deus seja perfeito, qualificado para toda boa obra” (II Timóteo 3.16-17).

        A Doutrina Social da Igreja tem suas raízes no Antigo Testamento, no agir libertador de Deus na história do povo de Israel e de toda a humanidade e encontra sua solidificação na missão salvífica de Jesus e na Igreja; na carta escrita pelo saudoso Papa João Paulo II no ano de 1987 sobre a solicitude social da Igreja, ele afirma que: “A Doutrina Social da Igreja é o ensinamento do Magistério em matéria social e contem princípios, critérios e orientações para a atuação do crente na tarefa de transformar o mundo segundo o projeto de Deus”. (Sollicitudo Rei Socialis, 41)

        Em um primeiro momento, quando nos aproximamos da Doutrina Social da Igreja, tem se a impressão de que ela é muito teórica, parada, idealizada, distante das realidades injustas que na maioria das vezes as pessoas passam, muito pelo contrário, ela quer ser critica e prática na sua ação social, ela quer ter grande incisão na vida social, por exemplo, em justiça, em solidariedade, em participação e em ajuda entre as pessoas, é um meio de aproximação da Igreja para com o mundo e para a solução dos problemas sociais, principalmente a partir da carta encíclica Rerum Novarum, do Papa Leão XIII no ano de 1891, até os dias atuais com o Papa Francisco.

       Tem como primeiro objetivo ir ao encontro das pessoas e ajudá-las em suas várias situações e realidades em que se encontram, já que visa uma transformação da realidade social, política, econômica e cultural baseada no Evangelho, a Igreja busca ir ao encontro, principalmente das classes sociais mais marginalizadas e das realidades sociais mais excluídas.

       O ser humano feito à imagem semelhança de Deus é que lhe confere seu caráter sobrenatural e sua dignidade, o homem consciente, livre, responsável, inteligente, sujeito de direitos e deveres é o centro da Doutrina Social da Igreja. “A Igreja vê no homem, em cada homem, a imagem do próprio Deus vivo; imagem que encontra e é chamada a encontrar sempre mais profundamente a plena explicação de si no mistério de Cristo, Imagem perfeita de Deus, revelador de Deus ao homem e do homem a si mesmo” (COMPÊNDIO DA DOUTRINA SOCIAL DA IGREJA, 105).

        Desde o diálogo de Jesus com aquele que seria o primeiro Papa: “Pedro tu me amas?” ele respondeu: “Senhor tu sabes que te amo”, então o Senhor lhe disse: “Apascenta minhas ovelhas”; e desde então, de Pedro até os dias de hoje com o Papa Francisco, a Igreja não tem nos abandonado e tem nos apresentado a verdade e o caminho que nos conduz a salvação, e seja qual for a nossa realidade, como filhos e filhas de Deus, somos convidados a deixar-nos guiar pelas Palavras do Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo, sempre com auxílio da Santa Mãe Igreja, que é Una, Santa, Católica e Apostólica…

 

                   Por João Goz                                                                                                                           

PASCOM
Pastoral da Comunicação